Idade Média

17 agosto 2007

Dignidade pessoal nas categorias sociais medievais: clero, nobreza e povo

Filed under: Uncategorized — idademedia @ 15:55
Tags: , , , ,

Havia na Idade Média uma forma de distinção própria a cada classe social. Ela era condicionada à função de cada qual na sociedade.

Havia uma distinção eclesiástica, uma distinção aristocrática e uma burguesa.

Religioso, nobre e plebeu

É necessário não confundir a distinção, segundo a concepção medieval, com a dos tempos modernos.

No Ancien Régime, por exemplo, a distinção eclesiástica era ter o cabelo empoado, usar lencinho, e uma série de atitudes congêneres que davam idéia de um homem adamado, freqüentando a sociedade mundana.

Hoje, o bispo avançado procura parecer com qualquer um, um sindicalista ou um invasor de terras do tipo emessetista.

Bispo, Notre Dame de Paris

Na Idade Média, pelo contrário, vemos o espelho da distinção do clero nas imagens de bispos esculpidas nos portais das catedrais góticas: homens eretos, de porte firme, olhar profundo e simplicidade de maneiras; mas ao mesmo tempo com racionalidade e nobreza, em tudo extraordinárias; verdadeiros pastores de almas, verdadeiros guias, príncipes na ordem do espírito, sem nenhuma preocupação de caráter mundano. Eis o verdadeiro símbolo da distinção eclesiástica.

A distinção do nobre era uma distinção guerreira, porque a classe aristocrática era a classe militar. A distinção do nobre consistia essencialmente em ser um batalha-dor corajoso, de peito aberto, olhar inflamado, atitude decidida.

Nobre, batalha de Crécy

A distinção plebéia, no fim da Idade Média, é a distinção do burguês: sério, calmo, bonachão, pensativo, de aspecto grave, colocado atrás de uma verdadeira tribuna, que era o seu balcão. É a figura típica do burguês ou do artesão. Esse modo de ser fazia parte da distinção burguesa.

São três estilos de vida, três funções diferentes na sociedade, dando origem a três tipos distintos. Porém todos eles, dentro dessas várias ordens, são proprietários das funções que ocupam, e nelas encarnam graus diferentes de distinção, personificando dessa forma os seus respectivos cargos.

Podemos assim ter uma idéia da variedade de tipos e da índole profunda que imperava no conjunto das instituições medievais.

Eram homens profundamente enriquecidos em sua dignidade pessoal, encarnando e personificando as posições que ocupavam.

Esta é uma das mais profundas razões da força e da solidez das instituições medievais.

Prof. Plinio Corrêa de Oliveira
Anúncios

3 Comentários »

  1. Tou a fazer um trbalhO de historia e gostava de saber quais são as caracteristicas .. privilegios…ocupações..modo de vida …. Obrigações ..e tipos de habitação DA nobreza .. Sou do 7ºano ..e gostava k pudessem publicar uma coisa assim .. obrigada pela atenção ..=D

    Comentário por luana 'O' — 14 maio 2008 @ 14:25 | Responder

  2. Luana,

    vai para http://gloriadaidademedia.blogspot.com/. Lá tem muita coisa para o que você quer e muitos links para a Idade Media.

    Comentário por idademedia — 14 maio 2008 @ 17:06 | Responder

  3. pow,minha prova de história tava muito dificio..‼Aff‼
    Blzz bEijosss….\õ/

    Comentário por \õ/→"Juuliianiinha←"\õ/ — 28 maio 2009 @ 21:58 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: